Mãe antecipou parto para que marido prestes a morrer conhecesse a filha

Mãe antecipou parto para que marido prestes a morrer conhecesse a filha


 

Depois de 8 meses duros de quimioterapia, Mark estava quase curado de um cancro no cólon e a família teve o melhor Natal de sempre, ainda por cima a mulher, Diane, estava grávida do 5º filho, uma menina.

Infelizmente no primeiro dia do ano novo tudo caiu por terra quando Mark se voltou a sentir mal e foi-lhe diagnosticado fibrose pulmonar, uma cicatriz que ocorre dentro dos pulmões e impede o fluxo de oxigénio para o cérebro e outros órgãos vitais. Os médicos deram-lhe uma semana de vida!

A esposa estava determinada a que, pai e filha, ainda se encontrassem. Desta forma, tomou a decisão de renunciar aos planos iniciais de um parto natural, pela indução de forma a que o marido pudesse segurar a bebé antes de morrer. Savannah nasceu de cesariana a 18 de janeiro e Mark foi a primeira pessoa a segurar na bebé. Ele embalou-a durante 45 minutos.

“Quando induzíamos o trabalho, ele estava na cama lado a lado comigo. Para mim foi um dia bonito – ele estava bem acordado e alerta durante todo o dia. Quando a enfermeira limpou a bebé e a pôs ao colo do Mark, via-se a dor nos seus olhos, mas ainda falou com ela, disse que ele era o seu pai e que a amava”. Mark conseguiu ainda segurar a bebé por uns breves momentos no dia seguinte antes de entrar em coma. Morreu dois dias depois.

O caso remonta a 2012, mas foi agora relembrado pelo programa de televisão “The Doctors”.