Fica a saber os prós e os contras de tomar café

Fica a saber os prós e os contras de tomar café


 

Faz parte da vida de pelo menos de mais de metade da população mundial.
Sabe bem, desperta e traz benefícios para a saúde. Mas nem tudo são pontos positivos… Conhece agora as vantagens e desvantagens de tomar café.

BENEFÍCIOS

>> Estimulante para os jovens
O café é uma bebida que estimula os indivíduos que o consomem, e pode auxiliar nos estudos ou no trabalho. Se for ingerido na quantidade adequada, a bebida pode auxiliar os estudos académicos e ser uma ótima fonte de estímulo para os jovens que apresentam sono e consequente falta de concentração, principalmente aqueles que estudam de manhã.

>> Antidepressivo
Ajuda a controlar situações de demência e a conservar a memória e o bem-estar em idades mais avançadas. O café influencia o estado de humor, ajuda a ter uma atitude mais ativa com os outros e pode produzir uma sensação de entusiasmo.

> No exercícioA cafeína diminui a fadiga e a ação antioxidante do café age como estimulante, aumentando o metabolismo e ajudando a queimar calorias. Além disso, potencializa a performance durante a atividade física, atuando como estimulante do sistema nervoso, aumentando a tensão dos músculos e ajudando na mobilização de substratos de energia para o trabalho muscular.

>> Na diabetes
Especialistas de Harvard concluíram que seis cafés por dia podem diminuir o risco da diabetes tipo II em 28%, devido aos antioxidantes que constituem o café e que contribuem para o controlo das células responsáveis pela doença.

>> Parkinson
Um estudo realizado em França diz que cerca de quatro cafés por dia poderiam reduzir o risco de desenvolver a doença de Parkinson. Embora este estudo se baseie apenas na observação, um outro realizado nos Estados Unidos comparou os hábitos de 200 pacientes com Parkinson. Os investigadores perceberam um atraso no aparecimento dos sintomas da doença entre as pessoas que consumiam mais de três cafés por dia. Um terceiro estudo feito na Universidade de Vanderbilt provou que os homens que bebem café regularmente previnem em 80% do desenvolvimento de Parkinson.

>> Combate ao cancro
A bebida também auxilia na prevenção de alguns tipos de cancro, como o de cólon, da mama, do pulmão, da pele, da próstata, do útero e do fígado. Também ajuda na prevenção de cirrose. Um estudo realizado pelo Ministério da Saúde do Japão concluiu que um grupo de mulheres que tomou mais de três cafés por dia, tinha menos probabilidade de desenvolver cancro no colo do útero (60%) e cancro da mama (50%) do que um outro grupo que bebia café menos de duas vezes por semana. Para os homens, o consumo de três cafés por dia reduz em 9% o risco de desenvolver cancro da pele.

>> Colesterol
Uma pesquisa da Universidade de Dusseldorf, na Alemanha, publicada no periódico The American Journal of Clinical Nutrition avaliou os efeitos do consumo de quatro cafés por dia no primeiro mês e depois oito cafés (cada um com 150 ml) no segundo mês. Os pacientes avaliados apresentaram uma redução do colesterol total, aumento do HDL (bom colesterol) e também da adiponectina, elemento anti-inflamatório produzido pelo organismo.

>> Alzheimer
Estudos recentes indicam que algumas substâncias presentes no café podem também ajudar pessoas que sofrem de Alzheimer. Segundo a revista médica norte americana Neurology, a cafeína retarda a deterioração mental em mulheres idosas. Segundo um estudo feito em 2009, quem bebe 3 ou 4 chávenas de café por dia têm menos 65% de possibilidade de desenvolver Alzheimer.

>> Digestão
O café também ajuda na digestão ao estimular a secreção ácida do estomago. Consumir café produz contração peristáltica, funcionando como um laxante natural.

>> Beleza
O café começou a ser procurado como produto de beleza a partir do momento em que se descobriu que ajuda na batalha contra a celulite. Muitos dos cremes contêm cafeína para estimular a circulação e liberar a retenção de água armazenada. No entanto, o The American Journal of Clinical Nutrition tem realizado numerosos estudos sobre os efeitos do café e ainda está por determinar a eficácia a longo prazo do café neste tipo de problema.


OS CONTRAS

>> Café com medicamentos
O café pode ter consequências graves em pessoas que tomam determinados medicamentos, seja bloqueando os seus efeitos ou afetando a absorção de cafeína. Um estudo realizado em 2008, por exemplo, descobriu que pessoas que bebiam café pouco antes ou depois de tomar levotiroxina, um medicamento comum para a tiróide, tiveram uma redução de até 55% na absorção do fármaco. Outros estudos descobriram que o café pode reduzir a absorção do alendronato (medicamento para a osteoporose) até 60%, e pode diminuir os níveis circulantes de estrogénio. Alguns medicamentos podem aumentar os efeitos do café e como resultado, a cafeína pode persistir no organismo por várias horas (por exemplo, as mulheres que tomam pílulas anticoncepcionais podem ficar com cafeína no organismo até quatro horas a mais de quem não consome nenhuma medicação).

>> Hipoglicemia
A cafeína pode causar fortes oscilações da glicose no sangue, causando hipoglicemia (baixa de açúcar no sangue). Os sintomas incluem fraqueza, nervosismo, tremores e palpitações cardíacas.

>> Insónias e cansaço
A cafeína pode afectar a qualidade do sono, pode agravar os sintomas de insónias, ataques de pânico e ansiedade. Quem toma regularmente mais de 100 mg de cafeína (uma chávena de café) por dia, provavelmente pode sofrer alguns sintomas de fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração e rigidez muscular.

>> Vício
O fato de tomar uma chávena de café por dia não é viciante, mas quanto mais se consome, mais se sente a necessidade de obter o efeito energético que se espera da cafeína.

>> Arritmias cardíacas
Um estudo apresentado no encontro anual da Sociedade Europeia de Cardiologia, indica que o consumo excessivo de café sem uma alimentação saudável aumenta os riscos de fibrilação arterial, uma das formas mais comuns de distúrbio no ritmo cardíaco, que aumenta o risco de derrames e outros problemas cardiovasculares.

>> Osteoporose
O consumo moderado de cafeína não possui relação com a osteoporose, mas o consumo exagerado deve ser evitado por pessoas idosas e mulheres na menopausa. Doses acima de 500 mg diários de cafeína podem contribuir para a ocorrência de osteoporose.

>> Úlceras
Consumir café pode danificar a região gastrointestinal e produzir úlceras ou outros tipos de irritação no estômago e intestino.

>> Overdose de café
O café também pode ser ingerido em excesso. E os sintomas não são agradáveis. Profissionais apontam para dores de estômago, agitação, insónia, irritabilidade, hipertensão. Segundo alguns pediatras, o café também pode contribuir para a absorção de cálcio pelo organismo humano, causando desde enjoos a arritmias cardíacas.

> No caso de gravidez
O café deve ser evitado grandes quantidades em caso de gravidez. Pode agravar certos problemas digestivos, intestinais, causar úlceras e síndrome de fadiga crónica. Muitos estudos, entres os quais um publicado em 2008 pelo American Journal of Obstetrics and Gynecology, vinculam o consumo de café ao abordo espontâneo. A investigação constatou que as mulheres grávidas que consomem mais de 200 miligramas de café por dia têm o dobro de risco de produzir um aborto do que quem toma quantidades menores.

 

1